Testei: Shiseido Protective Foundation Stick SPF36

Shiseido Protective Foundation Stick SPF36 Proteção solar sempre foi uma das minhas maiores preocupações. Se bem me lembro, comecei a usar com 14 ou 15 anos e desde então, raros são os dias em que eu fico sem – geralmente são domingos que estou em casa com preguiça da vida, hahaha! Mas minha rotina é bem corrida e se tem uma coisa que eu não abro mão é de aplicar meus cosméticos faciais pela manhã e depois fazer a maquiagem. Isso leva um certo tempo e agilizar este processo é cada vez mais fundamental para mim (afinal, 5 minutinhos a mais de sono, são muito preciosos)! Foi por isso que comecei a me interessar tanto por BB creams e também por protetores solares tintos (apesar de até então, nunca ter encontrado um realmente bom). Acabo dando preferência ao primeiro, porque além da maquiagem e proteção solar, também oferece outros benefícios como hidratação, clareamento, controle de oleosidade, entre outros.

Há algum tempo eu venho querendo um bom protetor com cor, já que minha última experiência com este tipo de produto foi muito cara e ruim. Então, quando recebi o release do lançamento da Shiseido aqui no Brasil, achei que seria uma boa hora para experimentar uma das linhas mais respeitadas da marca, a Suncare.

Shiseido Protective Foundation Stick SPF36

A Protective Foundation Stick SPF36 oferece proteção contra os raios UVA e UVB, previne contra rugas e manchas, além de cobrir imperfeições, como melasmas e acnes, oferecendo um acabamento duradouro e natural. O produto traz na sua fórmula a tecnologia Super Veil-UV 360, que distribui uniformemente a proteção solar, garantindo maior proteção UV; e o Profence Cell, que inibe o dano celular e a degeneração do DNA, prevenindo rugas e manchas. A base também conta como o Tone Correcting Powder, um pó que reflete a luz e uniformiza o tom da pele e o Texture Correcting Powder, que minimiza os poros e as linhas finas. Além disto, a Protective Foundation Stick FPS 36 é resistente à água, transpiração e oleosidade.

Confesso que fiquei um pouco preocupada em adquirir este produto, pois, conforme a descrição, é uma base resistente à oleosidade e não auxilia no controle da mesma. Outra preocupação foi em relação à textura, já que este tipo de produto, geralmente apresenta textura oleosa e possui acabamento pesado e grosseiro. Ainda assim, mesmo sabendo que minha pele poderia virar um perfeito espelho de tanto óleo, resolvi arriscar pura e simplesmente por confiança na marca Shiseido – e se me permitem um conselho, não façam isso; especialmente se o produto em questão for caro, porque é mais fácil arrepender-se da compra do que o inverso. Acabei escolhendo a cor beige entre as quatro disponíveis.

Shiseido Protective Foundation Stick SPF36

Apesar de toda esta apreensão, veio uma boa surpresa! A Protective Foundation Stick é muito fácil de aplicar: basta passar o bastão diretamente no rosto e depois espalhar com as mãos (como eu faço) ou com o auxílio de um pincel. O acabamento e a cobertura são perfeitos! Natural, nem um pouco pesado, muito menos grosseiro. A cobertura é excelente e quase não preciso de corretivo, já que até as olheiras são suavizadas. A pele não fica pegajosa, pelo contrário, fica até levemente sequinha, com toque macio e aveludado, sem ficar matificada. Sem um pó por cima, percebo que a oleosidade começa a aparecer pelo meio do dia, mas usando um pó translúcido como o Blot da M·A·C ou o Pó Translúcido da Anna Pegova, ela só aparece discretamente na zona T, ao final do dia. E pasmem: mesmo com o calor que está fazendo, mesmo com o suor e a oleosidade, ela não sai, nem transfere. É muito, mas muito resistente mesmo! Fiquei realmente impressionada.

A embalagem é bem pequena e cabe na palma da mão. São apenas 9g de base, o que eu acredito ser o suficiente para uma boa temporada na praia por exemplo. Para ser usado diariamente, é um produto muito, mas muito caro. Cada vez que aplico, vejo o bastão diminuindo, diminuindo… Isso me deixa um pouco preocupada, pois o rendimento não é, nem de longe, o que eu esperava. Apesar disso, o tamanho é uma vantagem: para quem sempre reclama de retocar o protetor solar durante o dia e depois ter que refazer a maquiagem, ele é um protetor com cor, o que torna as coisas mais fáceis. E sejamos honestas: quantas bases por aí tem um fator de proteção tão alto quanto esta, com FPS36? Eu conheço muito poucas! E bem… o tamanho é uma das minhas poucas reclamações em relação a este produto da Shiseido.

Shiseido Protective Foundation Stick SPF36

A outra, como vocês já devem imaginar, é em relação ao preço. Quando eu disse que era muito caro, para uso diário, não sei se me expressei bem. Vamos tentar de novo: É ABSURDAMENTE MUITO, MAS MUITO CARO MESMO. São R$199 por 9g de protetor solar. Com este rendimento muito ruim, é de partir o coração gastar tanto dinheiro, em produto tão bom, para vê-lo durar um mês ou um mês e meio no máximo (é o que eu calculo para a minha base). Se não fosse isso, seria perfeito, porque era justamente este tipo de protetor solar que eu estava procurando. Talvez, quando acabar, eu experimente a versão compacta, afinal de contas, já sou fã há muitos anos da Shiseido Pureness Matifying Compact. Mas é só um talvez mesmo, porque meu bolso coração ainda está se recuperando do choque do preço.

 

Detalhes da nota:

Embalagem

5/5

Textura

5/5

Cobertura

5/5

Durabilidade

5/5

Preço

1/5

Avaliação Final: 4,2 estrelinhas

INGREDIENTES SHISEIDO FOUNDATION STICK SPF36
MINERAL OIL, PLYMETHYL METHACRYLATE, TITANUIM DIOXIDE (CI 77891), DIMETHICONE, KAOLIN, TITANIUM DIOXIDE, TRIETHYLHEXANOIN, POLYETHYLANE, ETHYLLHEXYL METHOXYNNAMATE, IRON OXIDES (CI 77492), SORBITAN SESQUIISOSTEARATE, MICROCRYSTALLINE WAX, COPERNICA CERIFERA (CARNAUBA WAX), IRON OXIDES (CI 77491), METHICONE, SILICA, WATER, FRANGRANCE, ALUMNIA, PEG/PPG-14/7 DIMETHYL ETHER, IRON OXIDES (CI 77499), ALCOHOL, MICA, SODIUM MAGNESIUM SILICATE, HYDRATED SILICA, TRIETHOXYCAPRYLYLSILANE, ALUMINUM HYDROXIDE, ALUMINUM DISTEARATE, BUTYLENE GLYCOL, GLYCERIN, TOCOPHEROL, SAXIFRAGA SARMENTOSA EXTRACT, HYDROGEN DIMETHICONE, DISTEARYLDIMONIUM CHLORIDE, BHT, SYZYGIUM JAMBOS LEAF EXTRACT, TIN OXIDE, SODIUM HYALURONATE, SOPHORA ANGUSTIFOLIA ROOT EXTRACT, FRAGRANCE (PARFUM) CONTÉM: BENZYL BENZOATE, BUTYLPHENYL METHYLPROPIONAL, EUGENOL, GERANIOL, HEXYL CINNAMAL, LEMINENE, LINALOOL.


Onde?
Perfumarias e Lojas Online
www.shiseido.com.br
0800 14 8023

Disclaimer | O produto mostrado nesta postagem foi adquirido pela autora.

Autobronzeador: a missão!

Autobronzeador: a missão

Já disse por aqui que não sou fã do verão. Aliás, calor só me agrada em duas situações: à beira do mar ou da piscina. Além disso, acho que deveria ser proibido qualquer temperatura acima dos 25ºC no interior do país, sendo as temperaturas mais altas, reservadas exclusivamente às áreas litorâneas. Sonhar ainda pode, certo? Enfim… Com o forno que vira São Paulo esta época do ano, simplesmente não tem como não tirar do armário, shorts, saias e vestidos. Mas, se você como eu, vê na calça jeans sua best friend forever, quando chega o verão bate aquele desespero: falar que eu estou com as pernas da cor da parede ou que sou meia-irmã do Gasparzinho, seria até bondade. Hahahahaha! Fora isso, eu ando um bocado à pé e estou sempre de sapatilha, o que resultou em um pé bicolor: os dedos e o calcanhar estão brancos, mas o peito do pé, onde bate sol está até bem moreninho.

Se eu não tivesse nenhum evento importante ou, mais ainda, se não estivesse gostando de usar saias evasê sempre que possível, não estaria nem ligando sobre o fato de meu corpo estar de duas cores. Mas acontece que além do calor, tenho um casamento durante o dia no final do mês e honestamente… Não tem como colocar um vestido e uma sandália sem aquele pedaço de pé ficar gritando: “Oiê! eu trabalho no escritório e não fui à praia”! Por fim, cá estou: não apenas para falar sobre alguns produtinhos que ajudam dar uma cor de verão à pele, mas também para pedir um S.O.S.

No mercado existem os auto-bronzeadores que são os produtos com cor e efeito quase imediato, os hidratantes corporais com efeito bronze gradual, sendo o mais famoso deles o Dove Summer Tone e a maquiagem corporal, como sprays que tem efeito “meia-calça” e prometem acabamento natural, porém são laváveis. Eu prefiro os hidratantes corporais com efeito bronze e, para falar a verdade foi apenas este que usei até hoje. Acho que criei um certo “trauma”, porque na minha formatura de 8ª série eu estava de vestido, com as pernas brancas e cheias de marcas de machucados. Minha tia acabou comprando uma base facial de um tom mais escuro para eu aplicar e… Quem disse que aquilo secava? Só sei que estava quase pronta e tive que voltar para o chuveiro para tirar a meleca e acabei encarando a cerimônia de pernas brancas mesmo.

Autobronzeador: a missão

Destes produtos da foto, os que eu realmente usei foram o Autobronzeador da PanVel e o Dove Summer Tone. O da PanVel é meio engraçado porque ele é uma loção branca que vai oxidando em contato com a melanina e o bronzeado aparece depois de 3h da aplicação mais ou menos. Ele dura dois ou três banhos se você não reaplicar – apesar de que, na embalagem diz que usar uma vez por semana é o suficiente para manter a cor. O que eu não gosto dele é que é “muito fraquinho”, mesmo aplicando por dias seguidos, a pele não fica bronzeada como eu gostaria. Já o Dove Summer Tone tem efeito gradual: você passa por uma semana e só depois vê a cor. Mas acho ele muito amarelado. Não fica uma cor bonita e natural.

Por sua vez, o produto da Natura é novo. É da linha Tododia e é uma maquiagem para as pernas. Um hidratante com cor que promete disfarce de imperfeições além de iluminar a pele. Ainda não testei como gostaria, mas parece promissor para quem não tem as pernas branquelas (o que não é meu caso). E o segundo é um spray tipo “meia-calça” também da PanVel. Já usei um bocado e ajuda, mas não opera o milagre que eu estou precisando para deixar minhas pernas o mais próximo possível do monocromático.

É aqui que preciso de ajuda. Já pesquisei por aí e estou muito em dúvida sobre qual autobronzeador comprar. Estou muito tentada em testar um da Shiseido, mas queria ouvir de quem já tem experiência com este tipo de produto: qual você me recomenda?

Para quem está à procura de uma corzinha de praia sem sol, também juntei aqui embaixo algumas opções que encontramos no Brasil.

Seleção de Autobronzeadores

1. O Boticário Cuide-Se Bem Solar Autobronzeador – R$33,99 | 2. Shiseido Brilliant Bronze Quick Self-Tanning Gel – R$217 | 3. Kiehl’s Sun-Free Self-Tanning Formula – R$102 | 4. Avène Autobronzant Hydratant – R$87,67 | 5. Dior Bronze Huile Somptueuse Éclat Naturel – R$209 | 6. Clinique Self Sun Body Tinted Lotion – R$109

Os Esmaltes da Guerlain

Os Esmaltes da Guerlain

Novembro é um dos meses mais esperados do ano para quem está há procura de boas compras, por conta do Black Friday. Mas a verdade seja dita: no Brasil, a data que veio importada dos EUA, não passa de uma grande palhaçada. Lojas inflam preços a fim de promoverem descontos inexistentes. Nos e-commerces de cosmético não é muito diferente. Eu estava querendo adquirir alguns produtos, mas acabei ficando com uma promoção inesperada da Sephora: esmaltes da Guerlain de R$90 por R$39!

Para quem não sabe, prazer, meu nome é Gabriela, tenho 26 anos e sou apaixonada por esmaltes. Eu costumava ter uma coleção com centenas deles, mas me desapeguei de mais da metade e hoje tenho apenas aqueles que realmente gosto. Assim sendo, na minha experiência, os esmaltes importados costumam ser superiores aos nacionais em muitos aspectos como apresentação, pincel aplicador, consistência, cobertura, brilho e durabilidade. Ainda assim, vale a pena desembolsar R$40 (ou que dirá R$90) em um vidrinho de 10ml? Sincera e honestamente? Não. Especialmente se você vai usá-lo apenas uma vez. No entanto, se você fizer como eu fiz durante muito tempo, talvez valha a pena reconsiderar. Vou abrir um parêntese aqui para contar uma história já bem datada, mas que me serviu de lição.

Os Esmaltes da Guerlain

Lembram do Particullière, um dos esmaltes mais badalados da Chanel? Pois bem, na época em que ele estava sendo comentado por aqui, eu fiquei absolutamente apaixonada pela cor. Mas um esmalte Chanel estava muito, mas muito longe de todas as minhas possibilidades. Foi então que, as marcas nacionais percebendo o vão no mercado, começaram a lançar uma atrás da outra, suas versões para o famoso francês. Advinhem quem saiu por aí como uma louca, comprando todos e quaisquer esmaltes que poderiam parecer com o tal Particullière? Pois é, moi. No final dar contas, devo ter ficado com bem mais de 20 vidros de esmaltes muito parecidos, mas nenhum deles era o Chanel que eu queria. Pior ainda: eu devo ter gasto muito mais de R$90 com um monte de esmaltes que no fim, acabei ou dando, ou jogando fora quando passaram da validade. Resumindo: se você quer muito, não adianta querer substituir por um, dois, três ou sabe-se lá quantos similiares. Na maioria das vezes o resultado é pura frustração e dinheiro jogado fora.

Bem, tendo dito isso, eu fiz um estrago maior do que pretendia. Inicialmente a ideia era ter comprado apenas 4 cores. Mas Guerlain e promoção, não são palavras que costumam andar de mãos dadas e eis que acabei com as 8 cores disponíveis no Brasil. Não vou mentir e dizer que depois não me deu um certo arrependimento – são esmaltes afinal, mas no fim, fiquei bem contente, porque são cores clássicas, que irei usar muito e com qualidade superior aos esmaltes que pude experimentar até agora.

Os Esmaltes da Guerlain

Por enquanto eu só usei o Rouge D’Enfer que é “o vermelho”. Nunca tive um esmalte vermelho tão bonito! Ele durou quase cinco dias na minha unha e o brilho é excepcional! Também foi muito fácil e até “gostoso” de aplicar, porque a textura é perfeita, ele desliza suavemente e o pincel pega, com apenas uma aplicação, quase a superfície inteira das unhas, ou seja: quase perfeito! O que estraga mesmo é o preço. Ainda assim, devo dizer que fiquei muito feliz com esta pequena coleção de “luxuosidades”. Mas não pretendo “enfiar o pé na jaca” deste jeito novamente. Pelo menos, não tão cedo (nunca diga, nunca).

Aleatoriedades de Segunda #19

Resoluções de Ano Novo
Aleatoriedades de Segunda #19

Eu não sou uma pessoa que faz “resoluções de ano novo”. Nunca conheci alguém que conseguisse cumprir tais metas. E a maioria das pessoas tenta fazer as pazes com a balança logo no primeiro mês do ano. Mas é só começar o carnaval que tudo vai por água abaixo. Mas se tem uma coisa que eu faço é estabelecer metas para a minha vida. Podem ser que elas se concretizem agora, amanhã, semana que vem, ano que vem, daqui a 10 anos, eu não sei, mas são coisas que eu gostaria de ter e manter comigo. A mais importante delas e talvez a mais clichê de todas seja ser feliz. E quem não quer ser feliz, certo? Mas se 2014 me ensinou uma coisa é que felicidade não vem tão fácil assim. É preciso trabalhar e trabalhar duro por ela. Não estou me referindo ao meu trabalho profissional, mas sim como pessoa. Isso porque a felicidade que o dinheiro traz é fulgás: vem e vai embora assim que você sai da loja com a sacola em mãos.

Quero ser feliz primeiro comigo mesma. Eu sou a rainha da auto-crítica, vocês não tem ideia! Nada nunca está bom. Sempre pode melhorar, melhorar e melhorar. Eu nunca estou bonita. Eu nunca sou bonita. Problemas de auto-confiança e auto-estima estão na minha pauta este ano, porque não tem como ser feliz se você primeiro não estiver satisfeito consigo. Depois eu preciso mudar velhos hábitos de racionalizar tudo, levar tudo tão a sério… Parecem coisas simples e triviais, mas eu garanto que não é tão fácil assim! Claro que além disso, é preciso encarar a vida com outros olhos. Não sei vocês, mas eu tenho uma tendência de sempre pensar o pior de tudo e nem preciso dizer o quão péssimo é isso, certo?

Então cá está a minha “maior resolução de ano novo”: ser feliz! E vocês? Fazem resoluções também?

 

Gossip Girl
Aleatoriedades de Segunda #19

Ok. Depois de todo mundo cá estou eu assistindo Gossip Girl. Existem três culpados para isto: uma amiga (obrigada por me viciar Bru!), o Netflix e o winter break das séries nos EUA. Fazia algum tempo que eu ouvia falar da série, mas sempre achei superficial e bobinha demais. Não que eu estivesse errada, afinal acompanhar a vida de adolescentes abastados em Nova Iorque instantaneamente nos faz pensar em limousines, festas, álcool, drogas, marcas de luxo e muito dinheiro em jogo. Basicamente é sobre isso que trata o seriado para quem ainda não assistiu. E claro, são adolescentes, então intrigas, drama e confusão são apenas a cerejinha do bolo.

E esta pode ser a parte em que vocês me perguntam porque eu ainda estou assistindo Gossip Girl. Eu não sei! Hahahaha! É apenas viciante! E por mais superficial que a história pareça, alguns personagens como Chuck Bass (Ed Westwick), Rufus Humphrey (Matthew Settle) e Lily Bass (Kelly Rutherford) são mais profundos do que as protagonistas Bailr Waldorf (Leighton Meester) e Serena van der Woodsen (Blake Lively). Aliás, Chuck, que supostamente seria um daqueles personagens para odiar, está se provando muito mais interessante do que a série inteira vejam só! Por enquanto cheguei apenas ao começo da 3ª temporada, mas do jeito que vai, daqui a pouco será mais uma que vou assistir inteira sem nem perceber.

 

Summertime

Eu não gosto do verão. Na verdade é bem o contrário: não suporto o calor! Mas já que cá estamos e o forno assa até meados de março/abril, a playlist desta semana é para pelo menos levantar os ânimos de quem, como eu, não aguenta mais depender do ventilador e do ar condicionado para viver.