Categoria: aleatoriedades

Aleatoriedades de Segunda #9

Mania ou TOC?
Mania ou TOC?

Eu tenho uma mania que ainda não chegou no nível do TOC (transtorno obsessivo compulsivo): organização. Sabem aquelas pessoas que vão em lojas e discretamente começam a arrumar as coisas que estão fora do lugar? Eu não faço isso sempre, mas faço às vezes. Meu quarto, eu posso dizer com certeza absoluta que é o lugar mais organizado da minha casa. Eu sei onde está tudo. E se alguém tira alguma coisa fora do lugar, eu sei que algo está errado. E acreditem, é difícil controlar a vontade de sair por aí organizando tudo que eu vejo pela frente, hahahaha!

Meu carrinho de esmaltes por exemplo, é organizado por marcas e depois por coleção. Se não tem coleção, é organizado por cor, assim como meu guarda-roupas, onde tudo é organizado por estação e por cor. Minha cama está sempre arrumada depois que eu levanto, porque simplesmente não consigo dormir com ela desarrumada. Enfim, vocês devem imaginar que por aqui cada coisa tem o seu lugar. O bom é que minha psicoterapeuta disse que isso ainda não é um TOC e só o fato de eu ter consciência de que pode ser algo que me atrapalhe, já é meio caminho andado para o tratamento dessa mania (não que eu queira deixar de ser organizada, porque isso facilita muito a vida, mas eu poderia diminuir um pouquinho o nível).

Mais alguém por aí compartilha de alguma mania assim?

R.I.P. The Carrie Diaries
The Carrie Diaries

Ok, não era mesmo a melhor série do mundo e foi cancelada. Era bem bobinha, bem girlie, mas eu vou confessar que eu me divertia um bocado assistindo! Eu assisto algumas coisas mais “pesadas” como Law & Order: SVU e Game of Thrones, que acabam me pegando mais pela história do que outra coisa (Game of Thrones é um banho de sangue por episódio, por exemplo), mas acabo preferindo sitcoms e coisas mais leves como foi com The Carrie Diaries, Jane by Design, Smash e tantas outras séries que eu assistia e acabaram sendo canceladas.

Óbvio que um dia as coisas encontram seu fim, mas o problema é quando as séries são canceladas e simplesmente não terminam. Smash teve seu final act e conseguiu amarrar bem as histórias dos personagens sem deixar os espectadores a deriva. Jane by Design terminou em um cliffhanger, ou seja em um penhasco, literalmente! E assim foi mais ou menos com The Carrie Diaries. São essas coisas que realmente me deixam chateada. Imaginem se Friends acabasse no meio, sem um final de verdade?

Frustrações…

80’s!

Claro que em “homenagem” ao cancelamento de The Carrie Diaries a playlist de hoje é recheada de músicas que trocaram durante as duas temporadas da série. Então, divirtam-se com A-ha, Madonna, The Cure, Cindy Lauper…

Aleatoriedades de Segunda #8

Das pequenas coisas
Smile

Parece… Não, é clichê. Todo mundo fala “são as pequenas coisas que fazem a diferença”. Durante este tempo que estou em casa eu pude perceber como isso é verdade. Um retrato que você muda de lugar. Uma coisa que chega inesperada e de repente te arranca sorrisos. Um bom dia de quem você nem nunca prestou atenção. Um filme que você já viu mas nunca tinha reparado direito naquela cena. Essas pequenas coisas que fazem a diferença. Que fazem um dia diferente do outro. Porque tem coisas que são “obrigatórias”: você acorda, toma banho, toma café, escova os dentes, vai para o trabalho, pega trânsito, janta, assiste TV, toma banho, escova os dentes, dorme, acorda, toma banho… E assim por diante, então o é o que está entre essas lacunas que nós deveríamos prestar mais atenção.

Não sei, mas de repente percebi como o tempo é curto e como eu aproveito ele mal, sabem? E não estou falando de sair, curtir a vida, me acabar na balada, voltar de manhã com a maquiagem borrada sem nem saber meu nome, mas sim de aproveitar mais as coisas que me fazem feliz. As pequenas coisas. Os sorrisos, os abraços, os beijos, aqueles pequenos momentos que a gente quer guardar pra sempre. Eu mesma tive um: no quintal, uma rede, meus três cachorros, meu namorado e uma brisa gostosa de outono. Aquilo eu chamei de paz. Acho que preciso de mais doses dela!

Frozen

Acho que fui uma das últimas pessoas da Terra a assistir Frozen, mas tudo bem. Eu não diria que até hoje foi o melhor filme da Disney Animation Studios (que tem um dedo BEM GRANDE da Pixar no meio), mas uma coisa me chamou muito a atenção: a história tinha tudo para ser o conto de fadas clássico onde o príncipe se apaixona pela princesa e salva o dia. Mas na verdade *SPOILER ALERT* é o amor entre duas irmãs que “salva o dia”. O ato de amor que quebra a maldição não é o true love’s kiss e isso eu achei o ponto alto de todo o filme.

Claro que É Disney e você há de esperar um grande musical rolando na tela, mas para quem como eu, andou perdido por aí pelos filmes, já saiu em DVD e BluRay e é uma boa pedida para uma seção pipoca no domingo a tarde, quando, seu pai/irmão/marido/primo/amigos e afins não monopolizam na TV para assistir futebol. =P

Nostalgia Disney

Toda essa história me deixou meio nostálgica, então essa semana montei uma playlist com temas de alguns filmes da Disney começando com A Bela e a Fera e terminando em Frozen. Espero que gostem!

Aleatoriedades de Segunda #7

Ansiedade

Você quer uma coisa. E sabe que vai tê-la. Não de imediato, mas muito em breve ela chegará. Mas você não aceita isso, você precisa desta coisa já, agora, neste instante, caso contrário será impossível encontrar um momento de paz e felicidade plenos. Essa sou eu a maioria das vezes com coisas que quero muito e esta é uma das coisas que mais me atrapalha na vida. Fazer surpresa pra mim? Praticamente impossível. Vou te atazanar até você se cansar e me contar qual é a sua surpresa. Me empolguei com um projeto? Só penso nele dia e noite, noite e dia e não sossego até que ele esteja pronto e perfeito. Este fim de semana meu namorado aturou uma senhora dose de ansiedade da minha parte e até agora me pergunto como ele aguentou porque…HAJA PACIÊNCIA para lidar com pessoas ansiosas.

Eu ainda não descobri uma fórmula para controlar a minha ansiedade, mas estou trabalhando nisso. Muitas pessoas dizem: “calma, é só você não ficar pensando nisso”. Mas, como a maior parte das coisas dessa vida, é sempre muito mais fácil falar do que fazer. Uma vitória pelo menos eu consegui: quando criança a ansiedade era responsável pelas minhas unhas toquinho. Atualmente eu só balanço a perna até a mesa tremer ou perturbo as pessoas, hahahahahaha! Uma hora eu chego lá.

Animes & J-Pop
Working!

Eu já tinha comentado lá no vídeo de 50 Fatos Sobre Mim que sim, eu assisto animes (desenhos japoneses) e adoro j-pop. Claro que eu acabo enfrentando um preconceito gigante até de amigos que acham que animação é coisa exclusiva de criança. Mal sabem essas pessoas os enredos e tramas adultos que se passam em um anime ou mangá (que é a “história em quadrinhos” japonesa). Tem de tudo: desde os mais filosóficos, até aqueles mais bobinhos – como este da foto, Working! – que nós assistimos só para dar risada. Geralmente eu sou desse time e assisto coisas mais leves no Anime Ultima, um site com uma biblioteca enorme de animes dublados e legendados em inglês. Aliás, para os nascidos na época de 1990, Sailor Moon, Cavaleiros dos Zodiaco, Yu Yu Hakusho, Fly e Pokémon eram nomes bem recorrentes.

Foi assistindo essas séries que eu comecei a me interessar por j-pop também. Outro grande, grande preconceito. Mas tirando o fato da língua ser diferente (não ser português ou inglês) o ritmo é o mesmo ao qual estamos acostumados a ouvir. Aliás, se eu não me engano, a própria Beyoncé disse uma vez que era fã e escutava Ayumi Hamasaki, uma das divas pop do Japão. Além dela, outras cantoras que eu particularmente recomendo para quem quiser perder o preconcento ou mesmo conhecer algo novo, são Ayaka, Bonnie Pink, Utada Hikaru, BoA, Koda Kumi e Maaya Sakamoto.

J-Pop

Claro que para terminar, não poderia ser de outro jeito a não ser com uma playlist nova de j-pop! Para quem quiser conhecer algo diferente, aperta o play e se joga!

Aleatoriedades de Segunda #6

Voltei? Mais ou Menos…

Hoje é feriado e já faz um bom tempo que eu não apareço por aqui. Muita coisa aconteceu desde aquela última postagem e acreditem ou não, minha saúde ainda não está nos eixos, mas ainda assim, sinto falta do blog, deste espaço, da nossa conversa sobre coisas de mulherzinha. Para quem não está entendendo nada, vou tentar resumir: apareceu uma dor nas minhas costas muito forte lá em janeiro. A princípio foi tratada como um simples abaulamento de discos (isso significa, que o espaço entre uma vértebra e outra da coluna diminuiu e no meu caso, eram duas vértebras). Mas depois de muita medicação e sem conseguir andar ou sentar, acabei afastada do trabalho – e ainda estou. Como desgraça pouca é bobagem, no meio de março fui internada com dengue hemorrágica, além da dor nas costas que anda me consumindo.

Resumo da ópera: depois de 187 exames (de exame de sangue, a líquor, eletroneuromiografia, ecodopplercardigrama, ressonâncias e tomografias, além de outros) descobriram que o problema na coluna era algo além do abaulamento e cá estou, em tratamento com um fisiatra, tomando medicações fortes e tentando, em passo de formiga, retomar atividades que não exijam muito da minha postura. Sendo assim, vou tentar voltar a postar, mas com certeza, pelo menos por hora, não será uma coisa diária.

 

Para Aliviar a Mente

Eu assisto muitos seriados e agora, mais do que nunca, é o que tem me distraído (fico a maior parte do tempo deitada). Não sei se vocês conhecem todos, mas com exceção de Game of Thrones que me revira o estômago, mas eu não consigo parar de assistir, achei uma boa compartilhar estas series que são bem leves e dá para se divertir.

The Mindy Project conta a história da protagonista Mindy Lahiri (Mindy Kaling), uma ginecologista que trabalha em uma clinica com outros ginecologistas homens, mas que tem como uma de suas principais preocupações, encontrar o príncipe encantado. Entre indas e vindas, gafes e muitas situações bizarras, a série não tem uma enredo super diferente, ou nenhum atrativo ou grande nome no elenco, mas é cativante e bem divertida. São 20 minutos das mais inusitadas situações e apuros amorosos.

Claro que não é minha série favorita de todos os tempos, mas para quem está procurando algo só para se divertir um pouco, vale a pena procurar.

Hart of Dixie é uma série bem bobinha e menininha, com Rachel Bilson, famosa por sua atuação em The O.C. (que não, eu não vi). É mais uma daquelas séries com muito romance e várias pitadas de comédia. Rachel interpreta Zoe Hart, uma médica que se muda de Nova Iorque para o interior do Alabama, em uma pequena cidade chama Bluebell onde todos conhecem todos e mais um pouco. Tentando se ajustar a nova realidade e dividindo um consultório com um amigo de seu falecido pai, Zoe acaba movimentando (e muito) a vida da pacata cidade.

A série já está em sua terceira temporada e é um bom passatempo para quem não está procurando dramas ou histórias densas (eu gosto de assistir depois de Law & Order: SVU, que geralmente não traz histórias lá muito felizes, então dá uma bela aliviada).

 

Para Curtir

Por fim, é feriado e não sei vocês, mas eu estou no clima de não fazer nada, hahahaha! Então montei uma listinha com músicas que gosto de ouvir em dias como este. Só para curtir mesmo.