Tag: música

Aleatoriedades de Segunda #9

Mania ou TOC?
Mania ou TOC?

Eu tenho uma mania que ainda não chegou no nível do TOC (transtorno obsessivo compulsivo): organização. Sabem aquelas pessoas que vão em lojas e discretamente começam a arrumar as coisas que estão fora do lugar? Eu não faço isso sempre, mas faço às vezes. Meu quarto, eu posso dizer com certeza absoluta que é o lugar mais organizado da minha casa. Eu sei onde está tudo. E se alguém tira alguma coisa fora do lugar, eu sei que algo está errado. E acreditem, é difícil controlar a vontade de sair por aí organizando tudo que eu vejo pela frente, hahahaha!

Meu carrinho de esmaltes por exemplo, é organizado por marcas e depois por coleção. Se não tem coleção, é organizado por cor, assim como meu guarda-roupas, onde tudo é organizado por estação e por cor. Minha cama está sempre arrumada depois que eu levanto, porque simplesmente não consigo dormir com ela desarrumada. Enfim, vocês devem imaginar que por aqui cada coisa tem o seu lugar. O bom é que minha psicoterapeuta disse que isso ainda não é um TOC e só o fato de eu ter consciência de que pode ser algo que me atrapalhe, já é meio caminho andado para o tratamento dessa mania (não que eu queira deixar de ser organizada, porque isso facilita muito a vida, mas eu poderia diminuir um pouquinho o nível).

Mais alguém por aí compartilha de alguma mania assim?

R.I.P. The Carrie Diaries
The Carrie Diaries

Ok, não era mesmo a melhor série do mundo e foi cancelada. Era bem bobinha, bem girlie, mas eu vou confessar que eu me divertia um bocado assistindo! Eu assisto algumas coisas mais “pesadas” como Law & Order: SVU e Game of Thrones, que acabam me pegando mais pela história do que outra coisa (Game of Thrones é um banho de sangue por episódio, por exemplo), mas acabo preferindo sitcoms e coisas mais leves como foi com The Carrie Diaries, Jane by Design, Smash e tantas outras séries que eu assistia e acabaram sendo canceladas.

Óbvio que um dia as coisas encontram seu fim, mas o problema é quando as séries são canceladas e simplesmente não terminam. Smash teve seu final act e conseguiu amarrar bem as histórias dos personagens sem deixar os espectadores a deriva. Jane by Design terminou em um cliffhanger, ou seja em um penhasco, literalmente! E assim foi mais ou menos com The Carrie Diaries. São essas coisas que realmente me deixam chateada. Imaginem se Friends acabasse no meio, sem um final de verdade?

Frustrações…

80’s!

Claro que em “homenagem” ao cancelamento de The Carrie Diaries a playlist de hoje é recheada de músicas que trocaram durante as duas temporadas da série. Então, divirtam-se com A-ha, Madonna, The Cure, Cindy Lauper…

Aleatoriedades de Segunda #6

Voltei? Mais ou Menos…

Hoje é feriado e já faz um bom tempo que eu não apareço por aqui. Muita coisa aconteceu desde aquela última postagem e acreditem ou não, minha saúde ainda não está nos eixos, mas ainda assim, sinto falta do blog, deste espaço, da nossa conversa sobre coisas de mulherzinha. Para quem não está entendendo nada, vou tentar resumir: apareceu uma dor nas minhas costas muito forte lá em janeiro. A princípio foi tratada como um simples abaulamento de discos (isso significa, que o espaço entre uma vértebra e outra da coluna diminuiu e no meu caso, eram duas vértebras). Mas depois de muita medicação e sem conseguir andar ou sentar, acabei afastada do trabalho – e ainda estou. Como desgraça pouca é bobagem, no meio de março fui internada com dengue hemorrágica, além da dor nas costas que anda me consumindo.

Resumo da ópera: depois de 187 exames (de exame de sangue, a líquor, eletroneuromiografia, ecodopplercardigrama, ressonâncias e tomografias, além de outros) descobriram que o problema na coluna era algo além do abaulamento e cá estou, em tratamento com um fisiatra, tomando medicações fortes e tentando, em passo de formiga, retomar atividades que não exijam muito da minha postura. Sendo assim, vou tentar voltar a postar, mas com certeza, pelo menos por hora, não será uma coisa diária.

 

Para Aliviar a Mente

Eu assisto muitos seriados e agora, mais do que nunca, é o que tem me distraído (fico a maior parte do tempo deitada). Não sei se vocês conhecem todos, mas com exceção de Game of Thrones que me revira o estômago, mas eu não consigo parar de assistir, achei uma boa compartilhar estas series que são bem leves e dá para se divertir.

The Mindy Project conta a história da protagonista Mindy Lahiri (Mindy Kaling), uma ginecologista que trabalha em uma clinica com outros ginecologistas homens, mas que tem como uma de suas principais preocupações, encontrar o príncipe encantado. Entre indas e vindas, gafes e muitas situações bizarras, a série não tem uma enredo super diferente, ou nenhum atrativo ou grande nome no elenco, mas é cativante e bem divertida. São 20 minutos das mais inusitadas situações e apuros amorosos.

Claro que não é minha série favorita de todos os tempos, mas para quem está procurando algo só para se divertir um pouco, vale a pena procurar.

Hart of Dixie é uma série bem bobinha e menininha, com Rachel Bilson, famosa por sua atuação em The O.C. (que não, eu não vi). É mais uma daquelas séries com muito romance e várias pitadas de comédia. Rachel interpreta Zoe Hart, uma médica que se muda de Nova Iorque para o interior do Alabama, em uma pequena cidade chama Bluebell onde todos conhecem todos e mais um pouco. Tentando se ajustar a nova realidade e dividindo um consultório com um amigo de seu falecido pai, Zoe acaba movimentando (e muito) a vida da pacata cidade.

A série já está em sua terceira temporada e é um bom passatempo para quem não está procurando dramas ou histórias densas (eu gosto de assistir depois de Law & Order: SVU, que geralmente não traz histórias lá muito felizes, então dá uma bela aliviada).

 

Para Curtir

Por fim, é feriado e não sei vocês, mas eu estou no clima de não fazer nada, hahahaha! Então montei uma listinha com músicas que gosto de ouvir em dias como este. Só para curtir mesmo.
 

Casual Sunday: Seal

Se tem um assunto (entre outros, claro) que é muito complicado de falar, ao menos na minha opinião, é música. Cada um tem um gosto e um estilo musical que mais lhe agrada. No entanto, como falei que iria abrir as possibilidades com o Casual Sunday, resolvi falar um pouco sobre este assunto. Meu gosto musical é bem eclético, mas tenho lá os gêneros que não gosto. Entre tudo que já ouvi hoje, um cantor em especial se destaca: Seal. Não, não estou falando dele hoje pelo fato de que ele e sua então esposa Heidi Klum divorciaram-se, mas sim porque desde 1995 (quando eu tinha os meus 7 anos) eu ouço Seal.

Para ser honesta, lembro-me até hoje como foi que fiquei conhecendo o trabalho dele. Uma amiga da minha mãe mostrou à ela o CD que ela comprou do artista que cantava a música tema do filme Batman Forever, Kiss from a Rose (um de seus hits mais famosos). Minha mãe não havia assistido ao filme, mas gostou da música e adquiriu o CD simplesmente intitulado Seal, o segundo álbum de sua carreira. Por um longo período fiquei viciada neste CD, depois, acabei meio que esquecendo e por alguns anos, Seal era apenas Kiss from a Rose.

Algum tempo depois, não sei ao certo quando nem porquê, voltei ao ouvir as músicas, mas queria coisas novas! Foi então que resolvi dar uma chance aos outros álbuns do artista e me surpreendi: uma música melhor do que a outra. E não só pela musicalidade, mas pelas letras também. O Seal fala muito sobre vida e amor em suas canções, mas não de um jeito clichê e batido, cada música é única. Os álbuns Seal de 1994 e Human Being de 1998, na minha opinião são os que mais tratam do tema vida, tanto que uma das frases da música de mesmo nome deste último álbum diz: We are mere human beings, we die. It’s destined. (Somos apenas seres humanos, nós morremos. É o nosso destino.). Já Seal IV (2003) e Commitment (2010) são duas obras que falam muito do tema amor em diversos aspectos, não apenas na relação romântica entre dois seres.

Sobre o gênero musical, na maioria dos álbuns os ritmos de soul e rhythm&blues são predominantes, à excessão do álbum System (2007). Este último consegue unir músicas que ainda abordam as temáticas vida e amor, em rítimos mais dançantes e agitados. Quem gosta do gênero e ainda não conhece o trabalho do Seal com certeza irá se apaixonar! E para quem nunca ouviu falar, vale a pena dar uma chance. Montei abaixo uma playlist com 13 músicas que estão entre as minhas favoritas do cantor. Espero que gostem!

Site Oficial: www.seal.com
YouTube: www.youtube.com/SealOfficial