Categoria: notícias

Grupo LVMH Adquire a Brasileira Sack’s

Esta notícia anda circulando pelos sites de notícias e blogs de beleza há muito tempo. Agora parece que finalmente o que era boato e que foi desmentido, dá as caras para se tornar realidade. Não faz muito tempo que a Sack’s enviou um email para seus clientes sobre parte de compra da empresa pelo grupo LVMH (Möet Hennessy – Louis Vitton), dono da gigante Sephora.

No fim, a pequena nota na revista Veja estava mais que certa, porém li o post das Trendy Twins sobre o assunto e realmente há algo em que temos que pensar: a importação de cosméticos pode sofrer tributação de até 150% do valor orginal do produto, devido aos impostos abusivos cobrados no Brasil. Enquanto esta situação permanecer, vamos mesmo ter acesso à Urban Decay, Nars, Too Faced e outras marcas que gostaríamos tanto de ver por aqui?

A LVMH diz-se ciente do problema e está disposta a ter um diálogo com o governo brasileiro. Será esta uma esperança no fim de túnel para que outras marcas estrangeiras desembarquem em terra tupiniquim sem que um produto de $8.00 passe a custar R$80,00?

Sephora no Brasil: Sonho que Durou Pouco

Saiu uma nota na revista Veja desta semana, que deu o que falar em blogs e no twitter:

No prazo de um ano deve desembarcar no Brasil a rede de lojas de cosméticos e perfumaria Sephora – um gigante com 253 pontos de venda na França, 200 nos EUA e mais 250 no resto do mundo.
O grupo LVMH, dono da Sephora, já tem estudos de mercado prontos.

Para quem não sabe o grupo LVMH (Moët Hennessy – Louis Vitton) é dono de marcas como Givenchy, Dior, Guerlain, Benefit, Make Up Forever e outras. Além de cosméticos, ainda estão na lista empresas de vinhos e bebidas, moda, jóias e muitas outras.

Eu achei interessante, já que no fim do ano passado eu estive no escitório do grupo para participar do encontro promovido pela Sack’s e Givenchy, e como não poderia deixar de ser, perguntamos sobre a possibilidade de haver uma Sephora no Brasil. Então, Marcus Bari, maquiador da Givenchy, foi bem taxativo ao dizer que não havia nenhum interesse por parte do grupo LVMH em trazer a loja para terras brasileiras. Segundo ele, um dos principais motivos para esta decisão tinha a ver com o público, a consumidora brasileira que gosta de ser paparicada em uma loja, enquanto que a Sephora é quase que um “supermercado”.

Ontem, esta mesma nota publicada pela Veja foi esclarecida pelo grupo LVMH, dizendo que o mesmo ainda não pensa em trazer a Sephora para o Brasil. De acordo com o site Chic, o executivo responsável pela franquia esteve no país na semana passada, mas desde 2002 o grupo está analisando o mercado nacional para avaliar a possibilidade de uma filial aqui.

Bem…foi bom durante as poucas horas que durou.